Conheça Os Melhores Hábitos de Finanças Pessoais

Hábitos financeiros pessoais são o tipo de hábitos que você raramente ouve falar. Se você parar para pensar um pouco, você vai perceber que nós não nascemos realmente com nenhum de nossos hábitos, em vez disso nós aprendemos em algum lugar e em algum momento de nossas vidas.

E, como todos sabemos, existem bons hábitos, bem como maus hábitos.

Thomas C. Corley disse uma vez:

“Os hábitos são a causa da riqueza, pobreza, felicidade, tristeza, estresse, bons relacionamentos, maus relacionamentos, boa saúde ou má saúde”.

É uma generalização normal.

Vamos mergulhar de volta em um quesito em que todos devemos nos tornar melhores e mais familiarizados com: hábitos financeiros pessoais.

Esses hábitos são uma ótima maneira de começar a colocá-lo no piloto automático para tarefas como orçamento e economia para que, eventualmente, tudo isso comece a funcionar em seu benefício.

Além disso, eles podem torná-lo mais eficiente, ajudá-lo a ter melhor controle de suas finanças, construir mais riquezas e além disso ficar, fora da dívida.

Em geral, esses bons hábitos podem criar uma trajetória para maior riqueza e um futuro financeiro mais estável para você.

Dito isto, aqui estão alguns hábitos financeiros pessoais úteis que você deve seguir se ainda não estiver os fazendo:

1. Acompanhe seus gastos

Você rastreia seus gastos? Não quero dizer dar uma olhada no seu extrato bancário no final do mês. Quero dizer “rastrear” no sentido real da palavra.

Rastrear seus gastos é a única maneira de descobrir quanto você está realmente gastando em todas as coisas, e ajuda a colocar essas despesas em perspectiva. Isso deve ser feito com frequência, se possível.

Pense em “rastrear” como contar calorias, algo que a maioria de nós faz diariamente. Tome nota de todo o dinheiro que está vindo, bem como saindo.

E lembre-se que rastrear seus gastos é apenas uma peça do quebra-cabeça geral. O que você faz com essa informação e as decisões que toma é o que mais importa.

Pegue o que você aprendeu com seu rastreamento e aplique-o para exercer bons hábitos financeiros.

2. Criar um Plano de Poupança

habilidades de programação

Isso ajudará você a se manter motivado, ficar informado e ter uma base para trabalhar.

Comece se perguntando: por que eu quero ou preciso economizar dinheiro? É porque você quer ter o suficiente para a aposentadoria? Porque quer comprar uma casa? Ou talvez porque queira reservar um fundo de emergência para cobrir despesas imprevistas?

Independentemente do motivo, é muito importante que você tenha um objetivo claro em mente, bem como um prazo para o dinheiro que você planeja economizar.

Seguindo em frente, descubra quanto dinheiro você tem depois de pagar todas as suas contas e despesas por mês. Essa quantia que você pode colocar em suas economias para ajudar a alcançar seu objetivo.

Depois de obter o essencial, pode não ser uma má ideia configurar um plano de poupança automático. Dessa forma, você torna esse processo automático e não precisa gerenciá-lo manualmente.

3. Viva dentro dos seus meios e aprenda a dizer “não”.

Viver além dos seus meios pode acontecer sem pensar muito, especialmente se você pode justificar esse estilo de vida gastando em seu cartão de crédito sem se preocupar com isso.

A não ser que o novo celular top de linha, a tv de plasma de 65 polegadas vai te dar alguns milhares de reais devolta, talvez não valha a pena.

“Viver dentro de seus meios” simplesmente implica que você gasta menos do que ganha. Seus “meios” são seus rendimentos, e muitas vezes, as pessoas levam isso a um nível insalubre, excedendo seus ganhos e ficando endividados.

Não é novidade que uma grande porcentagem dos brasileiros são terríveis em poupar. Na verdade, fontes mostram que apenas 39% dos brasileiros têm poupanças suficientes para cobrir uma emergência de 1.000R$ pelo menos temporariamente.

Com tudo isso sendo dito, lembre-se que não há problema em dizer a si mesmo “não” sempre que sentir a tentação de comprar algo que sabe que não deveria.

As decisões são tipicamente emocionais e não lógicas. Isto está ligado à ideia anterior de viver dentro dos vossos meios.

Se você realmente não pode pagar uma despesa, como item de luxo desnecessário, você pode estar dando a si mesmo um presente temporário, mas você estará dando a si mesmo uma dor de cabeça cara a longo prazo.

Pense assim: Se a dívida que você assume não ajuda você a crescer ou ganhar dinheiro, vale a pena incorrer?

Certifique-se de que isso não aconteça com você exercendo autocontrole com suas finanças, sendo mais prático e tomando melhores decisões de senso comum com seu dinheiro.

4. Pague suas contas antes do tempo

Sim, se você pagar suas contas atrasadas é bem provável que você incorra em uma taxa de atraso. E a maioria das taxas de atraso, se não forem tratadas corretamente e removidas logo depois, irão infligir juros sobre suas economias.

Isso, por sua vez, vai agravar ainda mais o que você já deve. Este é o pesadelo recorrente que você certamente quer evitar.

Pagar suas contas no prazo é um aspecto importante para gerenciar adequadamente sua situação financeira. Saber exatamente quando suas contas são vencidas e pagá-las a tempo pode economizar dinheiro, melhorar sua pontuação de crédito e ajudá-lo a obter crédito no futuro a uma taxa mais baixa.

5. Pague mais do que o mínimo em seus cartões de crédito

Além de pagar suas contas com antecedência, você deve se esforçar para pagar mais do que o valor mínimo indicado.

A razão é que os saldos de cartão de crédito podem ser um pesadelo atraente que persegue você mês após mês.

Estudos mostram que a dívida média de cartão de crédito no Brasil é de 2.700R$. Se puder, tente pagar o saldo na íntegra todos os meses.

Se você não conseguir gerenciar isso, tente pagar mais do que o mínimo exigido em seu cartão de crédito.

Pagar mais do que o mínimo é melhor do que apenas pagar o mínimo. Mas “melhor” não é necessariamente “o melhor”. Se você não pagar o valor total, será difícil para você sair da dívida porque uma boa parte desse dinheiro será aplicada apenas para pagar os juros e taxas.

Outra opção a considerar, se você tiver muitos cartões de crédito com dívida, é consolidá-los sob um cartão de transferência de saldo de 0%, onde você normalmente não pagará nenhuma taxa financeira por seis meses ou mais.

Isso pode ser benéfico, pois pode consolidar sua dívida de cartão de crédito e permitirá que você tenha menos pagamentos com cartão de crédito para fazer a cada mês.

6. Invista em si mesmo

Investir em si mesmo pode ser o investimento mais rentável que você pode fazer.

Investir em si mesmo pode ser o investimento mais rentável que você pode fazer.

Quando você investe em si mesmo, certifique-se de que não está apenas investindo dinheiro, mas também tempo para si mesmo.

Muitas vezes, as pessoas tentam fazer muitas coisas para se melhorarem ao mesmo tempo e, na verdade, acabam falhando no processo. Uma alternativa melhor seria criar um “objetivo primário”. Saiba o que você quer melhorar e deixe que isso seja a força motriz para o que você deseja alcançar.

Palavra Final

Seus hábitos e ações têm um enorme impacto em sua felicidade e bem-estar geral.

Estes vão para todos os hábitos que você adquiriu ao longo de sua vida, incluindo hábitos financeiros pessoais que você provavelmente não percebeu que praticou.

Ao reconhecer hábitos de gastos ruins ou desnecessários, você pode começar a implementar as mudanças necessárias para trazer melhorias e ajudá-lo a se esforçar para alcançar seus objetivos de longo prazo.

Mudar sua vida financeira pode ser um desafio, mas não deixe que o quadro geral o pese.

Lembre-se de ser cauteloso com seu dinheiro e pense no futuro sempre que quiser gastar mais do que pode pagar de forma realista.

Seguir alguns ou todos esses hábitos e dicas de finanças pessoais pode fazer você começar a caminho para melhorar sua situação financeira. Que a jornada comece.

Leave a Reply